Agrocombustíveis e o mito das terras marginais

15 de set de 2008

Relatório lança um olhar crítico sobre as propostas para as culturas de agrocombustíveis, a serem plantadas em terras que são consideradas “ociosas” ou “marginais”. Na maioria dos casos, estas “terras marginais’” são vitais para a subsistência dos pequenos agricultores, pequenos criadores de gado, mulheres e povos indígenas. Por Henrique Cortez*, do EcoDebate.

“Estamos desafiando firmemente o mito de que há uma abundância de terras livres ou sobressalentes, na África. 70% das terras agrícolas da África são de produção tribal ou comunitária. Isto fas faz particularmente vulneráveis aos projetos de desenvolvimento de biocombustíveis, que visam privatizar a terra e retirar as fonte de sustento de suas comunidades .” (declaração da Rede Africana de Biodiversidade, African Biodiversity Network, para deputados da UE, 2008) Faça o download do relatório “”Agrofuels & the Myth of the Marginal Lands”", e conheça os perigos da forma como os formuladores de políticas públicas estão definindo terras “marginais” . * Com informações da Gaia Fundation e Norbert Suchanek, Rio de Janeiro, Correspondente e Jornalista de Ciência e Ecologia, colaborador e articulista do EcoDebate. [EcoDebate, 11/09/2008] ------------------------------------------ NEW REPORT: Agrofuels & the Myth of the Marginal Lands 10.09.2008 To the Report in English: Agrofuels and the Myth of the Marginal Lands