Salvo! 250 empresas mineiras fechadas

Um calau colorido na floresta de Sulawesi Calaus, cuscos, anoas e maleos devem sobreviver na ilha de Sulawesi (© flickrCC BY 2.0)

24 de ago de 2016

Empresas mineiras têm que fechar, as autoridades estão investigando, a floresta e os seus habitantes podem suspirar – um grande êxito para a nossa organização parceira JATAM.

Cobre e ouro, níquel, molibdênio e minérios jazem debaixo das florestas de montanha de Sulawesi – e devem ficar lá! Mas somente no distrito de Morowali 500 empresas mineiras estão explorando o solo – e deixam um rasto de destruição.

Finalmente, depois de um trabalho meticuloso, a nossa organização parceira conseguiu cooperar com a autoridade anti-corrupção, que fechou a metade das empresas nos últimos meses. A natureza e os habitantes podem suspirar.

Sempre de novo, a rede anti-mineração JATAM pôde provar que as empresas subornam e exploram ouro e minério de forma ilegal. Mas muitas vezes, um processo vencido não adianta nada, porque as empresas simplesmente continuam.

A pressão internacional e o apoio da Salve a Selva conseguiram que a autoridade anti-corrupção finalmente interveio.

A biodiversidade de Sulawesi é sem par. A ilha não fica longe de Bornéu e do continente asiático, mas aqui vivem espécies totalmente diferentes: calaus, társios, cuscos, anoas (uma espécie de bovino endêmico de Sulawesi) ou o maleo, uma ave de tamanho médio que coloca os seus ovos num buraco na areia quente.

Calaus, cuscos, anoas e társios merecem uma pausa. Mas o ouro atrai as empresas e o perigo não está eliminado.