Ponham fim ao comércio de anfíbios!

Rã no prato Franceses, belgas e americanos são os principais comedores de coxas de rã. (© Studio-Annika / istockphoto.com - Collage Rettet den Regenwald)

É por causa de um fungo letal que incontáveis anfíbios estão morrendo. Ele infecciona a pele dos animais e os faz perecer. O comércio internacional de anfíbios, por sua vez, dissemina o agente patogênico por todo o planeta. Exigimos o fim desse comércio, a fim de controlar essa crise.

Apelo

Para: United Nations Environment Programme (UNEP), cc an CITES, IUCN, WTO, World Customs Organisation

Reivindicamos o fim do comércio de anfíbios, para acabar com a mortandade de sapos e rãs, que perecem por causa de um fungo letal.

Abrir a petição

A crise dos anfíbios é dramática: das 7800 espécies conhecidas, pelo menos 120 já foram exterminadas pelo fungo. Por isso, seu agente patogênico é tido como o maior perigo para a sobrevivência dos anfíbios.

O fungo infecciona a pele dos animais, impedindo-a de respirar e interferindo no seu metabolismo. O Batrachochytrium dendrobatidis é altamente contagioso, e frequentemente, é letal, liquidando, rapidamente, populações de rãs, sapos, salamandras e outros anfíbios.

O fungo é a última pá no caixão dos anfíbios, diz o biólogo Dirk Schmeller, do Centro de Pesquisa Ambiental Helmholtz (UFZ) em Leipzig, que colaborou com um estudo internacional sobre o fungo.

Originalmente, o agente patogênico Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) é proveniente da península coreana. De lá, ele vem se disseminando globalmente e desde os anos 90, está presente na Europa. Essa disseminação só foi possível por causa do comércio internacional de anfíbios, seja para fins de alimentação, pesquisa, ou de guarda como animal doméstico. Um papel importante aqui é exercido pelo milionário comércio de coxas de rã.

Para os pesquisadores, é explosivo o fato de que, por meio do comércio, cada vez mais novas linhas do fungo Bd se espalhem mais. Tais linhas são capazes de desviar da resistência que algumas espécies, por exemplo, do Panamá, conseguiram desenvolver.

Na Alemanha, os biólogos estão preocupados com a salamandra de fogo. Ela é atacada pelo fungo Batrachochytrium salamandrivorans . Na Holanda, esse fungo já levou à mortandade; na Alemanha e na Bélgica, ele está se disseminando vorazmente. O fungo ainda não foi visto na América do Norte, mas pesquisadores temem que ele consiga chegar lá, onde ameaçaria de morte centenas de espécies.

Para diminuir a mortandade de anfíbios, exigimos o fim do comércio desses animais.

Mais informações

Números que medem a dimensão do comércio de anfíbios são quase inexistentes. A FAO estima que, ano de 2005, 85.000 toneladas de rãs e outros anfíbios no valor de um terço de um bilhão de dólares sejam cultivados em criadouros.

Entre 2006 e 2014 foram introduzidos nos EUA, para fins comerciais, mais de 26 milhões de anfíbios vivos. Pelo aeroporto de Heathrow, em Londres, foram importadas, no início dos anos 2000, mais de 130.000 espécies de anfíbios. E isso sem contar o comércio, muitas vezes ilegal, de espécies protegidas e ameaçadas.

Os órgãos responsáveis criam caso quando, nos papéis alfandegários, não consta o nome científico da espécie animal em questão. Isto costuma ocorrer, em especial, com as espécies  não restringidas pela Convenção de Washington que protege as espécies ameaçadas (CITES).

A dimensão da infecção pelo fungo é mostrada por dados canadenses. De 172 espécies que, de acordo com uma estatística, foram importadas, 43 tiveram resultado positivo no teste do fungo Bd. Já em maio de 2018, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) declarara que infecções causadas pelo fungo Bd são de notificação obrigatória.

Como fonte de alimentação, a norte americana rã-touro exerce o papel principal, pois, embora tenha se infectado com o fungo, normalmente, não é levada à morte por ele. Quase a metade das coxas de rãs tratadas provém da Indonésia, onde muitos animais são extraídos natureza. Os principais importadores são a França, a Bélgica e os EUA:

Do mesmo modo, ranavírus também se espalham com o comércio internacional de animais.

  1. Outras fontes e links:

Cobertura de imprensa de Dirk Schmellers:

http://dirk.die-schmellers.de/Publications/publications_new.htm#presscoverage

Fungos patogênicos provenientes da Coréia

https://www.p3mountains.org/single-post/2018/05/10/Pathogenic-fungus-originates-in-Korea

Fungo assassino de anfíbios provém da Ásia:

http://www.ufz.de/index.php?de=36336&webc_pm=13/2018 (em alemão)

Entrevista com Dirk Schmellers (em alemão):

http://ondemand-mp3.dradio.de/file/dradio/2018/05/14/amphibiensterben_der_gefaehrliche_chytridpilz_stammt_aus_dlf_20180514_1645_7543a4b8.mp3

Répteis e anfíbios:

https://www.prowildlife.de/tiere/reptilien-amphibien/ (em alemão)

Scientists find ‘ground zero’ of deadly frog pandemic:

https://news.mongabay.com/2018/05/scientists-find-ground-zero-of-deadly-frog-pandemic/

How the International Trade in Geckos Is a Scam

https://news.nationalgeographic.com/2016/01/160106-tokay-geckos-indonesia-traditional-medicines-wildlife-trade-traffic/

Trading in extinction: how the pet trade is killing off many animal species:

https://theconversation.com/trading-in-extinction-how-the-pet-trade-is-killing-off-many-animal-species-71571

How the pet trade is killing frogs — and the genetic sleuthing that uncovered it

http://www.santacruzsentinel.com/environment-and-nature/20180510/how-the-pet-trade-is-killing-frogs-and-the-genetic-sleuthing-that-uncovered-it

Estudo: Recent Asian origin of chytrid fungi causing global amphibian declines

http://science.sciencemag.org/content/360/6389/621

Estudo: Development and worldwide use of non-lethal, and minimal population-level impact, protocols for the isolation of amphibian chytrid fungi

https://www.nature.com/articles/s41598-018-24472-2

Salamandra: Batrachochytrium salamandrivorans: Deadly fungal threat to salamanders

https://amphibiaweb.org/chytrid/Bsal.html

World Organization for Animal Health (OIE)

http://www.oie.int/

Risk of survival, establishment and spread of Batrachochytrium salamandrivorans (Bsal) in the EU

http://doc.oie.int:8080/dyn/portal/index.seam?page=alo&aloId=35406&fonds=&cid=148

Report of the meeting of the OIE Aquatic Animal Health Standards Commission 2017

http://doc.oie.int:8080/seam/resource/directMedia/P2t1hfsPkM6j2YWZVhj41gSlyyc_L3rT?binaryFileId=14393&cid=148

Amphibian diseases flow through animal trade

https://www.sciencenews.org/blog/wild-things/amphibian-diseases-flow-through-animal-trade

International trade in amphibians: a customs perspective

http://www.amphibians.org/wp-content/uploads/2013/09/Alytes_2012_gerson.pdf

Is the international frog legs trade a potential vector for deadly amphibian pathogens?

https://esajournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1890/090111

Trends in US Imports of Amphibians in Light of the Potential Spread of Chytrid Fungus, Batrachochytrium dendrobatidis (Bd), and Implications for Conservation

https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13880292.2017.1403796

Organisation Amphibian Ark

http://www.amphibianark.org

There is no proposed ban on the U:S: amphibian trade

http://www.amphibianark.org/pdf/US_amphibian_trade_proposal.pdf

IUCN Amphibian Conservation Action Plan

http://www.amphibianark.org/pdf/ACAP.pdf

The global amphibian trade flows through Europe : the need for enforcing and improving legislation

https://biblio.ugent.be/publication/8515142

https://link.springer.com/article/10.1007/s10531-016-1193-8

Scientists find frog legs trade may facilitate spread of pathogens

https://phys.org/news/2009-11-scientists-frog-legs-pathogens.html

Organisation save the Frogs

https://www.savethefrogs.com/

The Amphibian Trade: Bans or Best Practice?

https://www.savethefrogs.com/d/who-we-are/staff/kerry-kriger/pdfs/Garner-2009-Reply-to-Kriger.pdf

Is the demand for amphibians as pets threatening their survival in the wild?

https://australianmuseum.net.au/blogpost/amri-news/amri-demand-for-amphibians-as-pets

Spread of Chytridiomycosis Has Caused the Rapid Global Decline and Extinction of Frogs

https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs10393-007-0093-5

Requerimento do Partido Verde e do Partido Social-Democrata alemão para restrir o comércio e a criação de animais selvadgens na Alemanha, fortalecendo, com isso, a proteção das espécies:

http://dip21.bundestag.de/dip21/btd/17/137/1713712.pdf (em alemão)

Two amphibian diseases, chytridiomycosis and ranaviral disease, are now globally notifiable to the World Organization for Animal Health (OIE): an assessment

https://www.int-res.com/articles/dao2009/special/fungus/fungpp7.pdf

Carta

Para: United Nations Environment Programme (UNEP), cc an CITES, IUCN, WTO, World Customs Organisation

Exmo. Sr. Diretor Executivo Erik Solheim,
Exmas. Sras., Exmos. Srs.,


Cientistas vem observando, a nível global, uma mortandade de anfíbios preocupante. Uma de suas causas é o altamente contagioso e frequentemente letal fungo Batrachochytrium dendrobatidis.

De acordo com estudos recentes, o fungo proveniente da península coreana vem se espalhando pela América do Sul e pela Europa. Tal disseminação tornou-se possível graças ao comércio internacional de anfíbios. Em conseqüência, os cientistas estão reivindicando o fim deste comércio.

Nós aderimos a esta reivindicação baseada em reconhecimentos científicos.

Por favor, acabe com o comércio de anfíbios.

Esta petição está disponível, ainda, nas seguintes línguas:

Por favor assine

Ajude-nos a atingir 150.000:

130.471
Atividades recentes