Perguntas e respostas sobre a floresta tropical

Leia mais

Um oceano verde de fetos, musgos, trepadeiras, orquídeas e gigantes da selva. Dendrobates de cores chocantes, aves de paraíso, raflésias odorosas, preguiças e quatis - e milhões de espécies de insetos. O "pulmão verde" do globo é uma maravilha. Aqui você pode saber mais sobre o ecossistema com a maior biodiversidade do nosso planeta, as comunidades sofisticadas de sobrevivência entre animais e plantas e os perigos do desmatamento.

A floresta úmida é o espaço vital mais variado do mundo. Perfazendo, no máximo, cinco por cento  do solo mundial, as florestas tropicais são o habitat da metade de todas as espécies animais e vegetais. Mas este patrimônio natural impressionante está em perigo. As florestas são abatidas e com cada árvore perdemos um pedaço da biodiversidade.

Aqui você pode ficar a conhecer o mundo fascinante das florestas tropicais e saber o que podemos fazer em conjunto para conservar este único espaço natural com os seus habitantes.

Construção em andares – O que tem a ver a floresta tropical com um arranha-céu?

O denso verde da floresta tropical  é muito menos uniforme e monótono do que poderia parecer à primeira vista. Principalmente, existem aqui quatro diferentes andares: a região do solo e o mundo aquático, a região dos arbustos e moitas, a região das copas das árvores e a cobertura com as árvores gigantes que estão acima de tudo. Todas estas regiões têm os seus próprios habitantes muito especializados. Muitos seres vivos desenvolveram simbioses – eles tiram proveito mutuamente. A cooperação tem uma importância vital na floresta tropical. Só quem pratica um estilo de vida adaptado sobrevive aqui. 

Quais são os habitantes do solo florestal?

A região do solo é muito escuro. A través do denso teto de folhas, somente entre um e dois por cento da luz chegam realmente ao solo. Muitos fungos, briófitas e fetos florescem aqui. As sementes das grandes árvores só têm a oportunidade de germinar quando uma árvore alta cai e gera assim uma clareira no copado florestal impenetrável. Agora as plântulas e trepadeiras crescem rapidamente. E acima, já logo surge uma nova plataforma para muitas das epifitas (por exemplo orquídeas) e um novo espaço vital para centenas de animais.

Um bom exemplo para as interdependências na floresta tropical são as raflésias que crescem no Sudeste Asiático. As enormes flores delas medem um metro de diâmetro, pesam até sete quilos e precisam de quase um ano para a própria formação. Depois, florescem apenas durante uns poucos dias. Para a polinização da flor que cresce no solo, a raflésia depende de insetos específicos. Eles são atraídos pela cor e pelo cheiro parecido a carne morta. Como parasita, a raflésia está dependente também de certas plantas hospedeiras, por exemplo trepadeiras. Se estas morrem, assim morre a raflésia.

Existem jardineiros na floresta tropical?

Cada visitante da floresta tropical que olha para o chão durante a sua caminhada pela selva da América Central e da América do Sul repara em elas: as processões das formigas-cortadeiras estão por toda a parte, transportando folhas e partes de flores e frutas para os seus ninhos. Ali não utilizam a colheita diretamente para a alimentação, como se poderia imaginar. Com o material vegetal elas cultivam fungos. Estes crescem em tocas especialmente construídas nos ninhos e alimentam as formigas e as larvas delas.

O que faz um golfinho no Amazonas?

Nos rios da Amazônia nadam até 3500 diferentes espécies de peixes. Além disso, eles são o reino de muitas outras espécies animais – mesmo do golfinho de rio cor-de-rosa.

Vários tipos de cobras movimentam-se elegantemente nas águas. Em contrapartida, as piranhas sanguinárias são um mito da selva. Estes peixes cinzentos e cor-de-laranja alimentam-se maioritariamente de pequenos peixes, moluscos, frutas e sementes. Só na estação seca elas tornam-se perigosos juntando-se a grupos para capturar a sua presa.

Embora os basiliscos curiosos não vivem na água, eles podem correr por cima da sua superfície. Nos seus largos pés com membranas interdigitais seguem a presa deles ou fogem de perigos.

Existem realmente rãs e cobras voadores?

A região do copado florestal é o espaço na floresta úmida onde vive a maior parte dos animais. Ela situa-se entre 25 e 45 metros de altura sobre o solo florestal. Aqui vivem também, além de rãs e cobras voadores, lagartixas e dragões voadores. Para o vôo planado, as rãs possuem membranas interdigitais que elas podem estender como um para-quedas. Alguns exemplares desta espécie nunca se afastam das copas. Até reproduzem-se nas árvores. Para isso, eles põem ovos nos grandes funis das bromélias que estão enchidas com água. Ali crescem os pequenos girinos e abandonam o funil só quando estão adultos.

A chrysopelea é uma cobra que vive nas florestas do Sudeste Asiático. Ela plana a través das copas de uma árvore a outra. Assim, ela faz o seu corpo plano como uma vela e mantém-se no ar com movimentos ondulantes.

A multiplicidade de borboletas na floresta tropical é especialmente impressionante. Algumas delas demonstram uma envergadura de até 30 centímetros é são assim as maiores borboletas do mundo.

Os arranha-céus da floresta também são habitados?

No último andar da floresta tropical, a 60 metros de altura, também existe uma vida múltipla. Este espaço é criado pelas árvores gigantes. Estas são espécies que crescem devagar, como a mamufeira, a castanha-do-pará e as meliáceas. As copas delas erguem-se como ilhas do mar de folhas do andar de embaixo. Sobre os habitantes destas altitudes dificilmente atingíveis sabe-se pouco. Morcegos-da-fruta e macacos também podem ser descobertos sem acesso a este espaço vital. Bem como as jandaias-amarelas que voam em bandos fazendo muito barulho, as araras imponentes e as harpias que estão entre os maiores falconiformes do mundo. Elas caçam e comem preguiças, araras e quatis. Mas os insetos que vivem na região das copas das árvores são pouco explorados até hoje.

Como se podem transformar as plantas da selva em medicina?

Desde há milênios, os habitantes da floresta tropical têm usado as plantas dela como medicina. As florestas úmidas são a maior farmácia natural do mundo. Assim, o suco leitoso da árvore-do-dragão é utilizado como “adesivo líquido” com um efeito anti-inflamatório. Da cinchona extrai-se o quinino. Já há muito, este remédio contra a malária é usado pelos habitantes da floresta tropical para o tratamento da febre. O physostigma das florestas no Oeste da África é o principal elemento em medicamentos contra o glaucoma e a hipertensão arterial. As plantas tropicais também fornecem muitas substâncias ativas para a terapia de cancro.

Mas não só os homens beneficiam-se da farmácia vegetal. Os orangotangos também sabem qual planta existe contra a malária ou a enxaqueca. Em um terreno de 300 hectares o orangotango conhece cada árvore e cada planta e lembra-se onde e quando quais frutas estão maduras. 

Quais são as conseqüências da destruição da floresta tropical para os animais?

Cada ano a área de floresta no mundo reduz-se em 13 milhões de hectares, a maior parte nos trópicos. Entre 2001 e 2010 10,4 milhões de hectares de florestas tropicais foram abatidos anualmente, 6,3 milhões de hectares desta área coberta de floresta primária. Cada minuto uma área florestal de 40 campos de futebol fica vítima das motosserras, dos bulldozers e dos incêndios – para a indústria madeireira e de móveis assim como para enormes plantações de dendezeiros, cana-de-açúcar e soja. E também para minas de ouro ou cobre, a extração de petróleo e barragens o pulmão verde do nosso globo está morrendo.

Os orangotangos, tigres e tucanos precisam da floresta para viver. Com cada pedaço de floresta abatido algumas espécies animais e vegetais extinguem-se irremediavelmente – cerca de 150 espécies por dia.

O abate das florestas também ameaça os homens?

Para 60 milhões de autóctones a floresta tropical é a terra natal e um lugar espiritual bem como a fonte para a alimentação, medicina e a construção de casas. Eles vivem em sintonia com a natureza sem destrui-la e dependem altamente da floresta. A organização Survival International relata sobre aproximadamente 150 grupos indígenas que habitam as florestas sem nenhum contato ao mundo exterior, em isolamento voluntário; por exemplo os Awá na Amazônia brasileira. Por causa da destruição da floresta, mas também devido à imigração e a doenças importadas o modo de vida deles e freqüentemente também a sua sobrevivência são ameaçados. No total, segundo dados da FAO, 300 milhões de pessoas estão vivendo em áreas florestais.

Mas a crescente perda da área florestal não só é um perigo para os povos da floresta tropical. Todos nós estamos perdendo com ela o “pulmão verde” do globo. Precisamos da floresta tropical como depósito importante de CO2 para regular o clima mundial. Se as áreas de floresta tropical desse mundo tornam-se estepes o desertos, isto também leva impactos para a Europa. Além disso, com cada planta e cada espécie animal que se extingue, a humanidade está perdendo um tesouro maravilhoso. Ao contrário de problemas ambientais resolúveis, este tesouro está perdido para sempre.

O que faz Salve a Selva para proteger a floresta?

Desde 1986 Salve a Selva intercede pela conservação deste único ecossistema. Queremos proteger a floresta e os seus habitantes – homens, animais e plantas – dos interesses de curto prazo das indústrias diferentes. Para isso apoiamos grupos de base no local que lutam pela proteção das florestas, os direitos dos indígenas, um progresso social e um desenvolvimento compatível com o ambiente e os habitantes. Com as nossas campanhas de protesto contra as atividades predadoras geramos uma maior consciência no público e exigimos aos responsáveis com a entrega das assinaturas recolhidas que corrijam o seu rumo. Com as doações promovemos a compra e conservação de áreas de floresta tropical e – se for necessário – financiamos medidas legais para a proteção da floresta. Fazemos trabalho de informação acerca da participação da Alemanha na destruição da floresta tropical, mostramos as razões e nomeamos os autores. Através do trabalho de informação para os consumidores encorajamos um comportamento de compra consciente.

O que posso eu fazer?

  • Fale com amigos, conhecidos e a sua família sobre a floresta tropical e a ameaça dela. Chame a atenção para o trabalho de Salve a Selva e encoraje o apoio das nossas ações de protesto – cada um pode participar!
  • Apóie o trabalho de Salve a Selva com uma doação.
  • Participe nas nossas ações de protesto
  • Organize recolhas de dinheiro em escolas, na universidade ou no posto de trabalho. Com estes eventos de informação mais pessoas reparem na proteção importante da floresta tropical e você apóia o nosso trabalho diretamente com uma doação.
  • Informe-se nas nossas páginas de tópicos como o seu comportamento aquisitivo se repercute na floresta tropical e quais alternativas existem aos produtos prejudiciais ao ambiente.