Estamos de luto pelo passamento de Reinhard Behrend, fundador de nossa associação

Retrato de Reinhard Behrend Retrato de Reinhard Behrend (© Rettet den Regenwald)

8 de jun. de 2020

Cinco de Junho é o Dia Mundial do Meio-Ambiente. Em 05-06-2020, faleceu Reinhard Behrend, cuja vida foi dedicada à natureza e muito especialmente, à floresta tropical.

Na última sexta-feira, foi Dia Mundial do Meio-Ambiente. Nesse dia, faleceu Reinhard Behrend, cuja vida foi dedicada à natureza e muito especialmente, à floresta tropical.

Reinhard Behrend, fundador de “Salve a Selva”, já não está mais entre nós. Ele faleceu no dia 5 de junho de 2020, Dia do Meio-Ambiente. Esse sociólogo de Hamburgo dedicou sua vida à natureza, e em especial, à floresta tropical. Em prol do mundo das plantas e dos animais, que o fascinava com sua beleza e diversidade, Reinhard Behrend conectou pessoas no mundo inteiro. Com as ações de “Salve a Selva e.V.”, ele despertava a opinião pública e organizava protestos contra crimes e outras desgraças. Mesmo tendo consciência de que a destruição da floresta tropical fosse seguir a sua marcha implacável, ele seguia firme em continuar lutando pelos direitos dos habitantes das florestas tropicais e de sua biodiversidade.

Salvação da floresta tropical como missão de vida

Reinhard Behrend fez da salvação das florestas tropicais de todo o mundo a missão de sua vida. Em meados dos anos 80, influenciado pelo movimento antinuclear e pelas manifestações pacifistas, Reinhard Behrend começou a trazer para o seio da sociedade alemã a questão da responsabilidade pela destruição da floresta tropical.

Fortalecimento de grupos locais nas regiões de florestas tropical

Por meio de seu trabalho informacional, ele logrou alcançar a mais larga opinião pública, para, com isso, conseguir manter elevada a pressão sobre a política e a administração pública. Ao mesmo tempo, ele apoiava movimentos de base locais dirigidos a ações concretas contra a destruição da floresta tropical. Ele tinha plena ciência da eficácia do fortalecimento de grupos locais e do uso estratégico de doações a grupos localmente afetados.

Por maior que fosse a alegria trazida a cada sucesso, Reinhard Behrend sabia que o poder dos grandes conglomerados capitalistas e o nosso contínuo crescimento do consumo acelerariam a velocidade da destruição. Por isso, ele tudo fazia para promover uma mudança de comportamento. Reinhard foi um modelo para muitas de suas companheiras e companheiros. Em decorrência da doença que o acometia, ele abriu mão da presidência de “Salve a Selva” em maio de 2020 em favor da co-fundadora da associação, Doutora Bettina Behrend, e da especialista sobre a Indonésia, Mariane Klute.

Hoje, “Salve a Selva” é apoiada por centenas de milhares de pessoas. Por ocasião de uma entrevista concedida no jubileu de prata de sua associação, ele declarou ter sempre desejado “um estado de gritaria”. Para ele, protestos nunca foram suficientemente altos. As amigas e os amigos da floresta tropical, a quem ele, com “Salve a Selva”, deu uma plataforma, vão continuar dando eco às gritarias do Reinhard, ainda que hoje o silêncio esteja reinante.