Congo: Primeiro êxito para gorilas-das-montanhas ameaçados

Mamãe gorila com bebê nos braços em uma clareira na floresta tropical Família de gorilas no Parque Nacional Virunga

3 de jun de 2013

Para o Parque Nacional Virunga a Leste da República Democrática do Congo existe uma esperança. O governo tinha autorizado cinco áreas neste patrimônio natural tão rico em biodiversidade para a exploração de petróleo. Mas depois de protestos internacionais a empresa petrolífera TOTAL foi agora a primeira que se retirou.

“O começo da extração de petróleo seria o fim do nosso patrimônio natural da UNESCO e também dos gorilas.” Esta preocupação foi expressada por Ephrem Balolo, membro do equipo administrativo do Parque Nacional Virunga, em uma entrevista com Salve a Selva em Dezembro de 2012. Balolo tinha viajado à Europa para chamar a atenção da comunidade mundial para a iminente catástrofe natural neste país abalado pela guerra civil.

A densa floresta tropical de Virunga a Leste do Congo na fronteira com o Ruanda é a terra natal de muitas raras espécies animais e, declarada em 1925, é o parque nacional mais velho da África. 380 indivíduos dos gorilas-das-montanhas ameaçados de extinção também vivem ali.

Agora a gestão do parque e a população opõem-se em conjunto aos planos do governo de conceder autorizações para a extração de petróleo.

No final de 2011 a empresa petrolífera britânica SOCO recebeu uma licença para a extração em vários blocos de petróleo a Leste do país. Até lá, existia uma proibição de exploração para as áreas de floresta sensíveis da República Democrática do Congo. 60 por cento do bloco cinco da licença de SOCO encontram-se no terreno do Parque Nacional Virunga. Ephrem Balole: “A empresa petrolífera recebeu a autorização para realizar explorações no parque por meio de um decreto presidencial. Mas existem leis que proíbem a extração de matérias-primas no parque nacional.”

Em Dezembro de 2012, mais que 65 mil pessoas assinaram a exigência de Salve a Selva de que se acabe imediatamente com todas as atividades da exploração de petróleo dentro e ao redor do Parque Nacional Virunga: https://www.salveaselva.org/acoes/900/congo-grupo-petrolifera-ameaca-floresta-dos-gorilas

Além disso, podíamos transferir 15 mil euros de doações para a gestão do parque nacional e apoiar assim o trabalho difícil dos guardas-florestais em prol da proteção dos gorilas.

Mas a floresta tropical e os seus habitantes ainda não estão a salvo – a empresa SOCO ainda não se retirou. Por isso, os guardas-florestais e a população continuam a precisar da nossa ajuda. Por esta razão, pedimos a sua doação:

DOAR AGORA