Brasil: Suspensão de obras em Belo Monte

Chefe Raoni com pintura de guerra dando uma entrevista Os povos indígenas do Xingu lutam contra Belo Monte (Foto: Rebecca Sommer)

21 de ago de 2012

“Isso é uma grande vitória que mostra que Belo Monte não é fato consumado. Nós estamos muito felizes e satisfeitos”, diz Antônia Melo, coordenadora do Movimento “Xingu Vivo para Sempre”. Um juiz decidiu que a obra deverá ficar paralisada, porque a construção viola os direitos dos povos indígenas minoritários no rio Xingu

Juiz Souza Prudente impôs no dia 14 Agosto, a suspensão das obras, seguindo um pedido do Estado do Pará. A razão para esta decisão é que a empresa operadora Norte Energia não consultou os grupos indígenas antes do início do projeto de construção. Isso viola tanto a lei brasileira, como os direitos internacionais das minorias. Se a empresa não cumprir a determinação, pagará multa diária de €200.000. Antônia Melo, coordenadora do Movimento “Xingu Vivo para Sempre”, diz que isso foi uma decisão histórica para o país e para os povos do Xingu.

Desde o início os operadores ignoravam leis nacionais e internacionais. Só alguns dos 40 requisitos da agência ambiental foram atendidos. A empresa austríaca Andritz e a empresa alemã Voith Hydro fornecem om grupo Norte Energia. Belo Monte é um projeto de prestígio, que o governo brasileiro quer implementar de qualquer maneira. Até agora, todas as decisões judiciais sobre a suspensão de obras foram anulados pelos tribunais superiores.

Belo Monte é o pior projeto de engenharia da história do Brasil

Os riscos ambientais e sociais de Belo Monte são enormes. Para a barragem vai ser inundada de uma área de floresta cerca de 516 quilômetros quadrados. As plantas em decomposição vão liberar grandes quantidades de gás metano, prejudicando o meio ambiente e ameaçando a biodiversidade das florestas e do rio. Cerca de 100 quilômetros do tributário do rio Amazonas ficariam quase secos, e as grandes barragens iam bloquear rotas de migração de peixes. Entre 20 e 40 mil habitantes do rio serão deslocados à força.

Devido à baixa taxa de fluxo do rio Xingu, peritos questionam a viabilidade econômica de Belo Monte. Uma revista dos engenheiros brasileiros chamou Belo Monte "a pior obra de hidro-engenharia da história do Brasil, se não do mundo.” Em vez dos prometidos 11.233 megawatts, Belo Monte só será capaz de gerar uma média de 4.419 megawatts.

Salve a Selva apoia a resistência da população brasileira contra Belo Monte com vários ações de protesto. Em agosto de 2011, nos apresentamos mais de 60 mil assinaturas na Embaixada do Brasil em Berlim. Obrigado por sua ajuda!

Documentário Countdown no Xingu II de Martin Keßler