Esperança para os orangotangos: investigações oficiais iniciadas em Tripa

Orangotango novo na selva A sobrevivência dos orangotangos dependerá do cumprimento das leis

23 de abr de 2012

A empresa PT Alam Kallista, que produz óleo de palma, é acusada de ter quebrado intencional­mente e sistematicamente as leis da Indonésia. Isso foi descoberto pelas autoridades responsáveis, que iniciaram investigações em relação ao acordo que a Indonésia fez com a Noruega, em que o país devia receber bilhões de dólares se tomara certas medídas para a proteção do meio ambiente.

A empresa PT Alam Kallista, que produz óleo de palma, é acusada de ter quebrado intencionalmente e sistematicamente as leis da Indonésia. Isso foi descoberto pelas autoridades responsáveis, que iniciaram investigações em relação ao acordo que a Indonésia fez com a Noruega, em que o país devia receber bilhões de dólares se tomara certas medídas para a proteção do meio ambiente.

Os fogos na floresta da Tripa, que na realidade devia estar sob proteção ambiental, atentam contra uma moratória de dois anos ao deflorestamento e ameaçam os orangotangos de Sumatra, que estão em perigo de extinção. Am empresa PT Kallista Alan tem violado pelo menos três leis que se-referem à criação de plantações, a proteção ambiental e o planejamento da paisagem nacional.

A autoridade para a protecção do clima está agora pedindo do Ministério de Proteção Ambiental e da polícia indonésia que enfrentam e impedem adequadamente os infratores para ajudar na recuperação do habitat do orangotangos.

A pressão internacional funciona

Salve a Selva tem lutado junto com outras organizações de proteção ambiental para publicar os crímes desta empresa. Conseguimos juntar mais de 40.000 assinaturas de protesto num prazo muito curto. Usamos isso para exigir do presidente Susilo Bambang Yudhoyono e das autoridades judiciais, que as leis ambientais existentes são cumpridos. Parece que agora na Indonésia finalmente está acontecendo algo para que estas leis pegam.

Estes novos desenvolvimentos mostram que ainda tem esperança para o ecossistema único do Sumatra, e que existe a possibilidade de reduzir globalmente os gases de efeito estufa.