Madeireira suspende derrubadas na Nigéria

Guardas ambientais na floresta tropical O povo Ekuri conserva sua floresta há várias gerações. (© Mathias Rittgerott)

9 de dez. de 2021

A madeireira Sibawood suspendeu as derrubadas na floresta do povo indígena Ekuri. Também foi suspensa a construção da rodovia que estava ligada ao projeto. Se essa suspensão é provisória ou definitiva, ainda não está claro. Os ambientalistas da província nigeriana Cross River estão dizendo que a suspensão seria um sucesso, o qual significaria, ao menos, um intervalo para descanso.

Segundo o líder nativo Edwin Ogar, contribuiu positivamente para a suspensão o fato de os moradores da comunidade Iyamite terem sido informados sobre os danos ecológicos e as irregularidades. Além disso, teria havido protestos, campanhas, além ter ter sido instaurada ação judicial contra a firma e a autoridade florestal. Os Ekuri esperam, agora, que com uma segunda ação judicial, eles consigam aumentar a pressão. As campanhas de informação de diversos parceiros vêm sendo apoiadas por “Salve a Selva”.

Para sair do estado de alerta, contudo, ainda é muito cedo. Além disso, - e à parte este caso específico - a destruição das florestas continua grassando no estado de Cross River, o qual alberga umas das últimas florestas tropicais da Nigéria. O governo seria omisso ou até mesmo chegaria a incentivar os desmatadores.

Os ambientalistas ao redor do líder Edwin continuam colocando suas esperanças no apoio internacional. Por favor assine a nossa petição, caso não o tenha feito ainda. Cerca de 100 mil pessoas já estão participando.