Floresta de elefantes gravemente ameaçada!

Filhote de elefante tenta, em vão, acordar sua mãe envenenada Filhote de elefante tenta, em vão, acordar sua mãe envenenada (© Sabah Wildlife Department, Borneo)

Às margens do rio Kinabatangan ainda vivem mais de 350 elefantes-pigmeus. Porém, o projeto de uma rodovia está a ameaçá-los, o que já causou protestos internacionais, que até o famoso protetor de florestas, Sir David Attenborough, manifestou-se alarmado. Com a recente mudança de governo em Sabah, a ameaça é ainda mais contundente.

Apelo

Para: Primeiro-Ministro Tun Mahathir bin Mohamad, Ministro-Chefe Shafie bin Haji Apdal

Os elefantes-pigmeus em Sabah estarão em perigo se uma nova ponte for construída na cidade de Sukau. Para protegê-los, o projeto não deve ser realizado.

Abrir a petição

Até agora, a caça furtiva de marfim era quase desconhecida nas florestas tropicais de alta diversidade de espécies, em Sabah, onde vivem calaus, ursos-malaios e orangotangos. Nos últimos anos, porém, criminosos parecem ter descoberto para si o Estado malaio. A esta altura, não é somente o marfim que lhes interessa, mas também a pele, nariz e outras partes do corpo do animal, com os quais é possível ganhar bastante dinheiro no mercado chinês.

Somente entre 2010 e o outono de 2019 foi registrada a matança de 145 elefantes pelos órgãos estatais de proteção a animais selvagens de Sabah. Esses elefantes foram envenenados, fuzilados  ou capturados em armadilhas. Se a coisa continuar assim, em breve, a espécie estará extinta.

Logo, as atividades sangrentas dos caçadores ilegais poderão ser facilitadas, se o governo aprovar a construção de uma ponte sobre o rio Kinabatangan. Este seria apenas o primeiro trecho de uma estrada deve ser construída na Reserva de Vida Selvagem de Tabin, que era de difícil acesso até agora. Assim, a estrada seria uma porta de entrada não só para caçadores furtivos, mas também para novos colonos, ladrões de madeira e a indústria de óleo de palma.

As rotas de migração de mais de 350 elefantes-pigmeus seriam cortadas e os rebanhos seriam forçados a recuar para fragmentos cada vez menores do seu habitat. O risco de que animais invadam aldeias e plantações cresceria - provavelmente com consequências fatais.

O projeto, oficialmente, deve servir ao desenvolvimento econômico da região, embora alguns políticos parecem querer tirar proveito pessoal disso. E isso em prejuízo da natureza justamente em uma região que vem se desenvolvendo como destino ecoturístico.

Por favor, ajudem a proteger os elefantes e outras espécies em Sabah e assinem a nossa petição.

Mais informações

O Lower Kinabatangan Wildlife Sanctuary fica no norte da ilha de Bornéu no Estado malaio de Sabah. Em 26 mil hectares vivem onze espécies de primatas e os raros elefantes-pigmeus-de-bornéu (Elephas maximus borneensis). O Lower Kinabatangan Managed Elephant Range mede 40 mil hectares de tamanho e está parcialmente incluído no santuário de vida selvagem.

Ao longo do rio Kinabatangan existem cerca de 350 elefantes-pigmeus. Em toda Bornéu vivem de 1500 a 2 mil indivíduos da espécie ameaçada.

Áreas de proteção fragmentadas

As áreas de proteção estão fortemente fragmentadas e não formam nenhuma unidade compacta. Em certos trechos, o Rio Kinabatangan está completamente desprotegido, tendo em vista que plantações de palmas de óleo já avançaram até as margens do rio.

A ampliação da estrada de terra deve ligar o povoado de Sukau às aldeias de Litang e Tomanggong, que ficam a 40 quilômetros de distância. Com isso, além do Santuário Kinabatangan, também o Santuário de Tabin seria cortado e aberto à exploração de caçadores, madeireiros e colonos ilegais. Estima-se que a metade de todas as espécies de elefante remanescentes em Bornéus teria sua existência ameaçada por este projeto. Ademais, nesse trecho haveria mais acidentes fatais com animais selvagens, muitos dos quais seriam atropelados.

Ressureição dos planos de construção da ponte

Em 2017, o plano de construir uma nova ponte em Sukau, dando, com isso condições para a construção da nova rodovia, foi, em princípio, suspenso. Depois de protestos de muitas organizações ambientais, incluindo a "Salve a Selva", bem como de cientistas do mundo todo, o governo de então suspendeu esse plano destruidor.

Depois das eleições de maio de 2018, o governo mudou. Os políticos locais que estavam por detrás do projeto de construção da ponte e da rodovia, mudaram de partido, e agora, querem impor sua visão.

Além disso, o novo governo de Sabah está planejando muitas outras obras de infraestrutura ameaçadoras para a continuidade de algumas espécies já ameaçadas, como elefantes e bufalos selvagens. E no entanto, tempos atrás, parecia que o governo tinha entendido. A então Ministra do Meio-Ambiente, Datuk Christina, declarou: "Nós não podemos permitir a extinção dessas espécies. Eu não vou permiti-la".

ONGs e cientistas locais já chamaram a atenção para as consequências catastróficas do novo projeto. Somente a voz deles, porém, poderá não bastar, já que o governo e a indústria do óleo de palama receia ter sua reputação internacional abalada pela matança de elefantes.

 

Carta

Para: Primeiro-Ministro Tun Mahathir bin Mohamad, Ministro-Chefe Shafie bin Haji Apdal

Excelentíssimo Senhor Primeiro-Ministro Tun Mahathir bin Mohamad, excelentíssimo Senhor Ministro-Chefe Shafie bin Haji Apdal,

No "Lower Kinabatangan Wildlife Sanctuary" vivem orangotangos, macacos-narigudos e vários outros primatas ameaçados. Centenas de elefantes-pigmeus são originários da região. O Rio Kinabatangan é muito apreciado entre biólogos em todo o mundo.

Agora os senhores estão planejando construir uma ponte em Sukau e asfaltar uma estrada na margem oposta do rio. Isto agrava a situação para os animais, que já estão sofrendo com a crescente fragmentação do espaço vital deles.

Biólogos temem que, a meio prazo, o projeto até possa levar ao desaparecimento da população de elefantes.

O "Lower Kinabatangan Wildlife Sanctuary" brinda um potencial imenso para o ecoturismo. Já hoje muitos habitantes vivem do turismo internacional. Por favor, tomem em consideração que este tesouro poderia ser destruído por causa da construção de pontes e estradas.

Por favor, suspendam o projeto, cujo benefício econômico é duvidoso e que põe o habitat de raros espécies animais em perigo.

Com os meus sinceros agradecimentos

Esta petição está disponível, ainda, nas seguintes línguas:

317.074

Ajude-nos a atingir 350.000:

Atividades recentes